Como declarar despesas médicas no Imposto de Renda 2023?

Como declarar despesas médicas no Imposto de Renda 2023?

Chegou a época do ano em que muitas pessoas se preocupam com a declaração do imposto de renda. Uma das dúvidas mais comuns é como declarar despesas médicas no imposto de renda. Afinal, muitos contribuintes têm gastos com saúde ao longo do ano e querem saber se esses gastos podem ser deduzidos do imposto a pagar ou aumentar a restituição.

Para começar, é importante entender que as despesas médicas podem ser deduzidas do imposto de renda, mas existem algumas regras que precisam ser seguidas. Além disso, é importante guardar todos os comprovantes de gastos com saúde, pois eles serão necessários na hora de preencher uma declaração.

Como declarar despesas médicas no Imposto de Renda 2023?

Quais despesas médicas podem ser deduzidas?

De acordo com a Receita Federal, as despesas médicas que podem ser deduzidas são aquelas realizadas pelo contribuinte, por seus dependentes ou alimentandos. As despesas médicas podem ser deduzidas integralmente, ou seja, não há limite máximo de dedução.

Entre as despesas médicas que podem ser deduzidas estão:

  • Consultas médicas (incluindo dentistas e psicólogos)
  • Exames laboratoriais e de imagem
  • Tratamentos de saúde (fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, entre outros)
  • internações hospitalares
  • Cirurgias plásticas realizadas por motivos de saúde (como cirurgias de deformidades causadas por acidentes ou doenças)

Vale ressaltar que as despesas médicas devem ser comprovadas por meio de recibos, notas fiscais e outros documentos. Além disso, os valores pagos devem ser relativos a serviços de saúde prestados no Brasil ou no exterior, desde que o beneficiário seja residente ou domiciliado no país.

Como declarar as despesas médicas no imposto de renda?

A declaração das despesas médicas deve ser feita na ficha “Pagamentos Efetuados”. Para isso, é necessário informar o nome, CPF ou CNPJ do prestador de serviço e o valor pago.

É importante lembrar que a dedução das despesas médicas só pode ser feita se o contribuinte optar pelo modelo completo de declaração. No modelo simplificado, não é possível reduzir as despesas médicas, mas é concedido um desconto padrão de 20% sobre os rendimentos tributáveis.

Além disso, é preciso ter atenção na hora de informar as despesas médicas no imposto de renda. É necessário informar o valor pago pelo serviço, sem

considerar o valor reembolsado pelo plano de saúde, se houver. Por exemplo, se uma consulta médica custou R$ 200, mas o plano de saúde reembolsou R$ 100, o valor a ser informado na declaração é de R$ 200.

Caso o contribuinte tenha recebido o reembolso do plano de saúde por despesas médicas, é necessário informar esse valor na ficha “Rendimentos Tributáveis ​​Recebidos de Pessoa Jurídica”. Essa informação é importante para que a Receita Federal saiba que parte dos gastos foi coberta pelo plano de saúde e não pode ser deduzida do imposto de renda.

Outra dúvida comum é em relação ao tratamento de doenças graves. Caso o contribuinte ou um dependente tenha alguma doença grave, como câncer, AIDS ou esclerose múltipla, é possível deduzir todas as despesas relacionadas ao tratamento, mesmo que elas não estejam diretamente relacionadas à saúde. Por exemplo, despesas com adaptação de veículo, próteses e cadeiras de rodas também podem ser deduzidas.

Para isso, é necessário obter um laudo médico que comprove a doença e a necessidade dos gastos. O laudo deve ser emitido por um médico que seja especialista na área relacionada à doença e deve conter informações sobre os procedimentos realizados e os materiais utilizados.

Outro ponto importante é que as despesas médicas não podem ser deduzidas mais de uma vez. Por exemplo, se o contribuinte pagou por uma consulta médica e também recebeu o reembolso do plano de saúde, ele não pode deduzir o valor pago e o valor reembolsado na declaração.

Além disso, é importante lembrar que as despesas médicas só podem ser deduzidas se forem comprovadas. Por isso, é necessário guardar todos os comprovantes de gastos com saúde, incluindo recibos, notas fiscais, relatórios médicos e receitas médicas.

Como organizar os comprovantes de despesas médicas?

Para facilitar na hora de declarar as despesas médicas no imposto de renda, é importante organizar os comprovantes ao longo do ano. Uma opção é criar uma pasta ou um arquivo específico para guardar os documentos relacionados à saúde.

Ao receber um recibo ou nota fiscal de gastos com saúde, é importante verificar se as informações estão corretas e completas. O documento deve conter o nome do prestador de serviço, o CPF ou CNPJ, a data do serviço, a descrição do serviço prestado e o valor pago.

Caso haja algum erro ou falta de informação, é importante entrar em contato com o prestador de serviço para solicitar a correção. Isso evita problemas na hora de declarar as despesas médicas no imposto de renda.

Outra dica é usar um aplicativo de controle de gastos com saúde. Existem diversas opções disponíveis na internet, que permitem registrar as despesas ao longo do ano e gerar relatório para facilitar a declaração do imposto de renda médica.

Conclusão

Declarar despesas médicas no imposto de renda pode ser uma tarefa complexa, mas é importante para garantir que o contribuinte não pague mais o imposto do que deveria. Para isso, é necessário entender quais despesas podem ser deduzidas, salvar os comprovantes e preencher uma declaração corretamente.

Além disso, é importante lembrar que as despesas médicas devem ser comprovadas por meio de documentos e que só podem ser deduzidas uma única vez. Organizar os comprovantes ao longo do ano e utilizar aplicativos de controle de gastos com saúde pode facilitar na hora de declarar as despesas médicas no imposto de renda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

nove + quinze =