Psicólogo

Se você é um psicólogo(a) com uma clínica, consultório ou empresa de psicologia, já deve ter percebido que os impostos e tributos no Brasil podem ser bastante onerosos.

O Brasil é conhecido por sua alta carga tributária, o que pode impactar significativamente a saúde financeira do seu negócio. Neste artigo, vamos explorar maneiras legais de reduzir a carga tributária para psicólogos.

Opções Tributárias para Psicólogos

Primeiramente, é fundamental entender qual é o regime tributário que se aplica à sua clínica ou consultório, seja você um profissional autônomo ou uma pessoa jurídica.

Psicólogo Autônomo

Se você atua como psicólogo independente, seus impostos são pagos como pessoa física. Mensalmente, você deve sair do imposto de renda correspondente a pessoas físicas. Além disso, é importante lembrar que os autônomos também são reservados para o INSS.

Psicólogo

Para facilitar o controle, é necessário emitir o carnê leão e um recibo para cada paciente atendido. Além disso, algumas despesas, como aluguel do espaço, taxas de recepcionistas e despesas de água, luz e telefone, podem ser abatidas do imposto de renda, o que pode ajudar a reduzir a carga tributária.

Psicólogo Pessoa Jurídica

Se você optar por abrir uma empresa, a classificação muda para pessoa jurídica. Isso oferece maior flexibilidade e oportunidades de gerenciamento para sua clínica e sua carreira. Entretanto, é necessária a assistência de um contador especializado em assuntos médicos para lidar com as questões burocráticas e de gestão.

Independentemente da sua escolha, seja independente ou pessoa jurídica, a orientação de um contador especializado na área da saúde é fundamental para lidar com questões financeiras e tributárias.

Escolhendo entre Pessoa Física ou Pessoa Jurídica

A decisão de ser pessoa física (autônomo) ou pessoa jurídica deve ser baseada em sua situação específica. É aconselhável consultar especialistas para fazer a escolha mais adequada para a tributação de sua atividade como psicólogo.

Psicólogo

Psicólogo como Pessoa Física (Autônomo)

Se optar pelo regime de independência, é necessário emitir o carnê leão todo mês para o pagamento do imposto de renda. Cada paciente atendido deve gerar um recibo para controle do carnê leão. Além disso, é possível reduzir despesas como aluguel do espaço, remuneração de recepcionistas e despesas com internet, água, luz e telefone na base de cálculo do imposto de renda.

Psicólogo como Pessoa Jurídica

Se escolher trabalhar como pessoa jurídica, seu consultório ou clínica deve possuir um CNPJ e emitir notas fiscais para todos os serviços. 

Existem diferentes opções de regime tributário, como o Simples Nacional e o Lucro Presumido.

Simples Nacional

O Simples Nacional é uma opção popular entre psicólogos, pois unifica o pagamento de impostos em uma única guia (DAS). No entanto, existem diversas alíquotas, e a escolha dependerá do seu faturamento e tipo de atividade.

Lucro Presumível

O regime de lucro presumido inclui a tributação de quatro impostos principais: IRPJ, CSLL, PIS e COFINS. Cada um é pago trimestralmente com base na receita bruta. Para psicólogos, a presunção de lucro é de 32% sobre os serviços de IRPJ e CSLL.

Além disso, PIS e COFINS possuem alíquotas próprias sobre a faturação. Há também o ISSQN, um imposto municipal sobre serviços.

Escolha do Regime Tributário

A escolha do regime tributário depende da fase de sua carreira e do faturamento. Para profissionais iniciantes com receita baixa, a opção de pessoa física pode ser mais vantajosa. Nesse regime, a alíquota de imposto de renda varia de 7,5% a 27,5%, mais o INSS independente de 20%.

Por outro lado, o lucro presumido implica impostos federais mais pesados, em torno de 11,33%, além do ISSQN, que varia de 2% a 5%, dependendo do município. Comparando os regimes, o lucro presumido é, geralmente, mais benéfico em termos de tributação.

No entanto, o Simples Nacional é uma excelente escolha para psicólogos, com uma alíquota de 6%. A tributação exata dependerá do fator R, calculado com base na folha de pagamento e faturamento dos últimos 365 dias. Isso ajuda empresas que oferecem serviços intelectuais a pagar tributos condizentes com seu faturamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

vinte − quatro =