Tributação para Psicólogos

Vamos falar sobre tributação para psicólogos?

tributação para psicologos

Os profissionais de saúde costumam ter muitas perguntas sobre contabilidade e tributação!

Muitos recebem informações de vários lugares diferentes e muitas vezes as informações não ajudam em nada e mais confundem a cabeça, este artigo explica tudo o que você precisa saber sobre tributação para psicólogos.

Afinal, no que diz respeito a tributação para psicólogos, é melhor atuar como pessoa física ou abrir uma empresa?

psicóloga

Qual o regime de tributação mais beneficia os psicólogos? Qual o regime de tributação para psicólogos vai fazê-los pagar menos impostos? Como eu devo escolher o regime de tributação psicólogos?

Surgem tantas dúvidas que dá um “tilt” na cabeça, não é mesmo?!

Se você é psicólogo e a partir de agora deve se perguntar tudo o que mencionei acima em algum momento. Neste artigo irei explicar de forma clara e objetiva a regularização de suas atividades. Em todas essas questões, seja para participar de uma instituição de psicologia terceirizada ou estabelecer sua própria prática psicológica.

Sobre a Tributação para psicólogos

tributação para psicólogos

É de conhecimento de toda a população que o Brasil tem uma carga tributária altíssima. Assim como, um sistema burocrático em relação à apurações e declarações ao fisco. Isso contribui para aumentar ainda mais as dúvidas em relação à tributação para psicólogos.

É claro que todo mundo quer estar regular e seguir as regras da legislação. Mas muitas vezes por falta de informação, alguns profissionais acabam não atuando da forma mais correta. Contudo, isso pode acarretar multas e em casos mais sérios, o profissional pode perder o direito de exercer a atividade de psicologia. Por isso a regularização e a correta aplicação da lei, são importantes para todos os empresários e/ou autônomos.

Sendo um assunto extremamente delicado, desenvolver e manter um planejamento tributário para psicólogos é essencial para ter sucesso em sua vida profissional. Isso é porque, você precisa ter parceiros ao seu lado que entendam desse universo e apliquem a melhor opção para o seu consultório de psicologia. E até mesmo para você que atua como pessoa física.

A Atualize, tem um setor focado nesse segmento, onde temos especialistas em tributação e contabilidade para psicólogos. Nós analisamos cada caso como um caso único, afinal, não existe uma receita de bolo que aplicamos para todos os psicólogos.

É necessário fazer uma análise cuidadosa, antes que defina:

Qual opção de regime tributário para um psicólogo e bem como se é mais vantajoso atuar como pessoa física ou pessoa jurídica.

Como funciona?

Faremos uma análise completa da situação de cada psicólogo, observando as contas, as atividades e muitos outros micro-detalhes em cada caso. Nenhuma análise será igual a outra, os casos se assemelham, mas nunca são idênticos.

No decorrer deste artigo, quero ressaltar para você:

Que ter uma contabilidade em dia e sem erros é essencial para que fique livre e tranquilo para exercer suas atividades de forma eficaz. Afinal, ninguém merece atender um paciente com preocupações fiscais e tributárias na cabeça, não é mesmo?

Então, vamos lá! Vou trazer abaixo as particularidades de atuar como pessoa física e como pessoa jurídica. Bem como uma média dos valores de tributos que você teria que recolher optando por uma ou como outra.

Tributação para psicólogos que atuam como pessoa física 

Se você é um psicólogo e está iniciando sua carreira, provavelmente ativou seu CRP. Assim, acredita estar pronto para exercer sua atividade sem medo de ser feliz, mas muita calma nessa hora!

Um psicólogo que exerce sua atividade como pessoa física tem obrigações fiscais, assim como qualquer outro profissional da sociedade brasileira. Inclusive tem obrigatoriedades em relação a alvará e pagamento de ISS que é o Imposto sobre o serviço devido ao seu município.

Como psicólogo autônomo, você precisa pagar impostos mais altos do que as pessoas jurídicas. Simultaneamente, a taxa de imposto de renda para pessoas físicas é mais alta. O ISS do município geralmente é fixo, mas o INSS, por exemplo, é um percentual alto e mensal. O valor de recolhimento para a previdência oficial fica em torno de 20%. Sem contar o IRPF que é o imposto sobre a renda de pessoas físicas, esse pode chegar até 27,5% dependendo do faturamento que você tem.

Então, fazendo um cálculo bem por cima, 20% de INSS + 27,5% de IRPF, estamos falando de quase 50%. Ou seja, uma carga muito elevada, sem considerar o ISS fixo que varia de município para município.

É claro, que estou passando os percentuais médios e suas variações dependem muito de cada situação. Pois é necessário analisar o faturamento de cada psicólogo para afirmar se atuar como PF ou PJ é mais vantajoso, ou não!

Ao contrário do que muitos pensam, a ciência contábil não é uma ciência exata e por esse motivo, tudo DEPENDE!

Depende do que? Depende de muitos fatores e variáveis. Por isso é importante ter ao seu lado um profissional que opte pela melhor tributação para você atuar como psicólogo.

 

Muitas pessoas me fazem esse pergunta e a resposta com uma explicação, lhe entrego a seguir:

O MEI, é um empresário individual que é enquadrado em um regime tributário diferenciado chamado SIMEI, e foi criado para regularizar profissionais informais. Que assim, atuavam sem recolhimento de nenhuma contribuição, menos ainda impostos sobre seus rendimentos.

Esses profissionais não conseguiam comprovar renda, não conseguiam os benefícios do INSS. E simplesmente não “existiam” nas estatísticas da sociedade formal.

Hoje essas pessoas que viviam informalmente, aderiram a essa opção de tributação super vantajosa. E começaram a usufruir dos benefícios do INSS. Junto com, créditos facilitados para exercer melhor suas atividades.

As atividades e o faturamento desse regime tributário são limitados, e o faturamento anual não pode ultrapassar R $ 81.000,00. Dentre essas atividades, todas são atividades não regulamentadas, ou seja, podem ser realizadas sem treinamento técnico. Não é o caso dos psicólogos, afinal para exercer a atividade de psicologia é necessário cursar uma graduação. Bem como, estar regular perante o conselho regional de psicologia.

Portanto, o psicólogo não pode atuar como MEI enquadrando no regime tributário SIMEI.

Atuar como Psicólogo sendo pessoa Jurídica

No caso de você optar por abrir uma empresa e atuar como psicólogo PJ – (Pessoa Jurídica). Você terá muitas vantagens e benefícios em comparação com a atuação como Pessoa física. Pois se tratando de tributação, a economia é muito significativa.

Além disso, por exemplo, linhas de crédito para sua carreira ou consultório são mais fáceis de obter e mais atraentes. Na hora de contratar psicólogos terceirizados, empresas também optam por psicólogos que atuam como pessoa jurídica, para a área acadêmica, idem.

Isso se dá pelo incentivo a economia que existe por parte da sociedade em geral. Logo, você alcançará seus objetivos financeiros de forma mais rápida atuando como pessoa jurídica.

Após a abertura da empresa, o psicólogo poderá escolher os três sistemas tributários existentes no Brasil, a saber. No caso, o Simples nacional, lucro presumido e lucro real.

Esses 3 tipos de regimes tributários afetam diretamente na forma como a empresa entrega suas obrigações fiscais, contábeis. Bem como, os tributos que a mesma irá recolher aos cofres públicos.

Como disse antes, antes de escolher um ou outro sistema, é importante que um profissional de contabilidade avalie suas informações. Com isso, determinar a melhor forma fiscal para você, cada situação é diferente!

 

E quais as vantagens de um psicólogo atuar como empresa?

Além do que já citamos acima, afinal com a abertura de empresa você paga menos impostos do que como pessoa física, existem outras vantagens como:

  • Você tem mais facilidade para comprovar sua renda;
  • Você passa bem mais profissionalismo no mercado;
  • Você pode fazer compras com desconto no seu CNPJ;
  • Você pode emitir notas fiscais;
  • Tem acesso facilitado a crédito no mercado;
  • Pode contratar funcionários e firmar parcerias.

Psicólogo enquadrado no Simples Nacional

Desde que o seu contador responsável (a) verifique essa opção, ela é válida. Nesse regime de tributação, as alíquotas são progressivas e o imposto é unificado. Ou seja, você paga uma única guia onde é englobado todos os impostos devidos por sua empresa.

E o fator “folha de pagamento” tem uma grande participação na forma como você será tributado (por uma alíquota ou por outra). Fique de olho para saber até quando vale a penas ser SN – (Simples Nacional).

Muitas vezes os psicólogos entendem que por esse regime ter o nome de “simples”, ele é o mais benéfico, mas nem sempre isso é real. Às vezes, você pode ter que pagar mais impostos porque a opção não foi revisada com antecedência.

Para psicólogos com faturamento de 4,8 milhões de reais nos últimos 12 meses, a alíquota do Simples Nacional pode variar entre 6% e 30%. Lembre-se que o imposto é calculado com base no faturamento total da empresa.

Psicólogo enquadrado no Lucro Presumido

Como os impostos são separados, essa opção é muito útil no setor saúde e é vantajosa quando o ISS fixo é baixo. Existem impostos e taxas mensais e trimestrais. Você deve considerar seu faturamento para saber se ela é a mais benéfico.

Ao regime tributário Lucro Presumido, as alíquotas são separadas, você pagará PIS (0,65%), COFINS (3%), IRPJ (15%) e CSLL (9%) de forma separada. Cada imposto e contribuição com uma guia separada diferente do Simples que engloba tudo em uma guia apenas.

Nesse regime tributário, existe uma presunção estipulada pelo fisco ara apuração dos impostos, por isso o nome lucro “presumido”. O fisco presume que o lucro é de 32% para serviços de psicologia e toda a apuração é feita com base nesse percentual e não o bruto como no caso do Simples nacional.

Psicólogo enquadrado no Lucro Real

Este método é muito semelhante ao lucro presumido, sua diferença é que o imposto é calculado com base no lucro real apurado, podendo ser deduzidas as despesas relacionadas com a atividade final da empresa. As alíquotas nesse regime tributário são maiores, por conta de gerar as deduções da receita, em alguns caso ele pode ser vantajoso para psicólogos.

No regime tributário você pagará PIS (1,65%), COFINS (7,60%), IRPJ (15%) e CSLL (9%) e tudo de forma separada, bem-parecido com o lucro presumido que expliquei acima.

Mas afinal, qual é o melhor regime tributário para psicólogos?

Depois de explicar tudo de forma bem detalhada você deve estar se perguntando qual é o melhor regime para enquadrar sua empresa de psicologia. Sobre isso, o que posso dizer é que depende e deve ser analisado especificamente, e não acredito em receitas que se apliquem a todos da mesma forma.

É essencial que sua situação seja tratada de forma individual e não genérica, portanto entre em contato conosco. Assim, podemos fazer essa análise e lhe apresentar a melhor opção. Para que você psicólogo pague menos impostos dentro da legislação e fique regular com sua situação perante o fisco.

5 1 vote
Article Rating
Anne Monteiro
[email protected]
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
4 meses atrás

[…] Leia também o nosso artigo sobre tributação para psicólogos.  […]

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x